domingo, abril 11

Costa do Sol




Outro dia o Lenin (meu diretor de criação, na DDB) me mostrou umas fotos. Ele gosta muito de acordar cedo e ir pra praia fotografar os pescadores, o mar, os barcos, enfim, tudo o que se vê por ali. Eu fiquei impressionado com as imagens e pedi pra ir com ele da próxima vez. Num belo sábado, ainda de madrugada, lá fomos nós pra um lugar chamado Costa do Sol. É uma praia não freqüentada por banhistas e fica a menos de 15 minutos do centro da cidade. Como eu não tenho câmera profissional, o Lenin, num gesto super caridoso, me emprestou a sua. Eu aproveitei e durante uma hora e meia ninguém me fazia parar de clicar!

Confiram algumas fotos abaixo, mas não deixe de ver as outras aqui.


domingo, abril 4

House On Fire - Swaziland



Com apenas 2 pares de roupas, 2 carros com os tanques de gasolina cheios, 800 Rands (equivalente a 190 Reais) e alguns chicletes, meus amigos e eu fomos para uma aventura no Reino da Suazilândia (Swaziland). Este país é uma das últimas monarquias absolutas no mundo e também é o país com o maior índice de pobreza, bem como de HIV. A sua população conta com pouco mais de 1 milhão de habitantes - equivalente à Guarulhos - SP. Na Suazilândia, o rei Mswati III escolhe – de tempos em tempos – uma virgem para juntar-se ao seu grupo de esposas. A seleção é feita em praça pública, onde milhares de mulheres exibem os seus seios descobertos, seguindo uma tradição.



O objetivo da aventura, que aconteceu no dia 29/03/10, foi compensar a nossa tentativa frustrada de ver o Freshlyground tocar em Phalaborwa, no mês anterior. Saímos de Maputo ainda de madrugada e tivemos uma viagem muito tranqüila, com estradas boas e uma leve garoa. Foram 220km até chegarmos no Willows Lodge, onde nos hospedamos. Assim que chegamos no portão do lodge nos deparamos com uma linda plantação de ananás (ou abacaxi, como se diz no Brasil).




Nossa acomodação, no Willows Lodje.


O show foi no House on Fire, um casarão bem legal com discoteca, restaurante, um extenso gramado de frente com o palco, quartos (caso vc queira se hospedar lá), etc. O Freshly começou a tocar umas 16h30. Antes disso, vimos algumas apresentações de artistas locais. Foi muito bacana. Os africanos tem muita aptidão para música.


Quando a banda subiu ao palco foi um êxtase danado. Toda gente gritando e querendo ouvir a linda voz da Zolani. Foi muito bom vê-los ao vivo. A música deles tem uma leveza e uma harmonia incríveis. Curtimos, dançamos e cantamos muito. Cliquem aqui e aqui para verem os vídeos.



Depois da bela apresentação, ficamos com muita vontade de falar com eles, dar um abraço, pegar um autógrafo e tal... O Serginho, meu amigo mais descarado, tomou atitude e subiu ao palco para ter acesso ao camarim. Nós fomos atrás, claro! Entramos todos gritando “Brazil”, sempre que alguém tentava nos impedir! Foi uma aventura e tanto, mas conseguimos!


Depois disso, curtimos um tanto na discoteca, nos alimentamos e voltamos pro Willows. No dia seguinte acordamos bem cedo para ir embora, afinal, era segunda-feira e o trabalho pesado nos esperava na DDB!


Vejam mais fotos da viagem aqui.